Como dimensionar Pavimentos Aeroportuários pelo método CBR

Malaysia-Airlines-A380
Fonte: Autor desconhecido

Aqui no além da inércia já apresentamos diversos artigos sobre estruturas de pavimentos, indo desde a aplicação de misturas asfálticas, materiais granulares, estabilizantes e o projeto de pavimentos pelo método do DNER.

O método de dimensionamento de pavimentos aeroportuários é uma adaptação do método de dimensionamento CBR utilizado pelo departamento de estradas da Califórnia e foi desenvolvido pela USACE, levando em consideração é claro extrapolações para cargas aeronáuticas. Em pavimentos aeroportuários estão presentes os flexíveis, aplicados em áreas de circulação de aeronaves, e os rígidos, aplicados em áreas de rampa, pátios e hangares.

O que é um Terminal de Passageiros

Viracopos-83.jpg
Fonte : Ricardo Lima / http://www.viracopos.com

O Terminal de passageiros é o maior “equipamento” dentro de um Aeroporto. Além disso, o Terminal de Passageiros é algo essencial para distinguir os Aeroportos de Aeródromos. O TPS pode ser dividido em: lado terrestre, check in, boarding pass e lado aéreo.

O check in caracteriza o momento em que o passageiro confirma seu assento no voo, recebe o boarding pass e despacha sua bagagem. O número de TPS depende de alguns aspectos do plano diretor e da filosofia de capacitação futura.

Conceitos sobre Pátios Aeroportuários

heathrow-airport.jpg
Fonte: https://airway.uol.com.br/

Os pátios aeroportuários tem a função de estabelecer área compatível de docagem, rampas, das Aeronaves. Dentre os fatores que influenciam nas dimensões do pátio pode-se destacar o número de posições e o sistema de estacionamento.

A disposição das aeronaves é a maneira como elas estão posicionadas em relação a interface, onde são consideradas como essas posições afetam as operações de embarque e desembarque dos passageiros. Além disso, considera-se o ruídos dos jatos das turbinas e as sensações térmicas. As disposições são:

Aprenda a calcular Pistas de Taxi em Aeroportos

i389114
Fonte: Autor desconhecido

Para dimensionar uma Pista de Táxi devemos levar em consideração que as cargas das rodas aeronáuticas devem ser iguais ou maiores que as das pistas de pouso e decolagem. Isso ocorre porque quando uma aeronave percorre as pistas de táxi ela está com uma quantidade maior de combustível, dessa forma o pavimento é mais solicitado do que nas pistas de pouso e decolagem.

As pistas de Saída de Táxi precisam de estudos quanto a sua geometria, pois deve permitir a rapidez de saída, assim como mencionado nos elementos de pistas. Para realizar essas análises, estabelece  eixo da via de acordo com o movimento curvilíneo das aeronaves.

Saiba quais são os principais elementos na Área de Pouso de Aeroportos

Aviões-Gol-Avianca-TAM

A área de pouso é idealizado com um conjunto de elementos visando estabelecer a segurança, dentre eles a área de circulação de aeronaves, as pistas de pouso e decolagem.

A Área de Circulação de Aeronaves é um conjunto de pistas de rolamento ou de táxi, pistas de saída de táxi e pátios de espera. As Pistas de Pouso e Decolagem tem função de estabelecer uma conexão entre a fase de voo e a fase terrestre. As pistas possibilitam acelerar e desacelerar com segurança.

Conheça os Tipos das Pistas em Aeroportos

Os aeroportos podem apresentar diferentes tipos de pistas para que esse atenda a demanda. Em alguns casos, em função da área disponível no aeroporto, as pistas precisam se cruzar. Abaixo, destacamos os tipos de pistas de pouso e decolagem e suas principais características.

As pistas simples são aquelas com menor capacidade operacional, e são empregadas quando a demanda do aeroporto é baixa. A capacidade desse tipo de pista está entre 45 e 100 operações por hora quando operados em VFR e de 40 a 50 quando operados em IFR. A Figura 1 ilustra a pista simples.

pista-salvador-infraero
Figura 1 – Pistas Simples. Fonte: http://www.transportabrasil.com.br/

A Capacidade das Pistas de Aeroportos

pista_aero_salvador

As pistas em aeroportos podem apresentar diversas configurações, dependendo das direções predominantes do vento ou do tráfego. A configuração corresponde a forma como as pistas estão dispostas na área do aeroporto.

O número de pistas de um aeroporto depende da demanda prevista, já a disposição das condições meteorológicas. Além disso, deve ser estudado a configuração do TPS e das pistas, como forma de poupar combustível e também de agilizar os aspectos operacionais no aeroporto.

O que é uma Distância Declarada para Pouso e Decolagem

Fonte da Figura: http://dynatest.com.br/

As distâncias declaradas são distâncias utilizadas para o dimensionamento de uma pista de pouso e decolagem. As distâncias declaradas podem ser divididas em TORA, TODA, ASDA e LDA.

A Take Off Run Available (TORA) é a distância disponível para a corrida de decolagem. A Take Off Distance Available (TODA) é a distância disponível para a decolagem.

Qual a importância do Peso e do Tamanho das Aeronaves para um Aeroporto

maxresdefault

A frota de um aeroporto é composta por aeronaves de diversos tamanhos, pesos e características. O conhecimento das dimensões das aeronaves é importante para o correto projeto e funcionamento de um aeroporto, pois suas dimensões ditam algumas “regras” para áreas específicas.

Em um projeto de Pavimentos Aeroportuários o peso e disposição do trem de pouso são fundamentais para a análise. Engana-se aquele que pensa que as aeronaves mais pesadas, como o Airbus A380 por exemplo, representam a situação mais crítica. Isso porque não só o peso, mas também o número de rodas e consequentemente o espraiamento das tensões através das rodas é o que dita esse dimensionamento.

O que são os números na cabeceira de pistas de pouso e decolagem?

FOTO-01

Ao projetar uma pista de pouso e de decolagem devemos levar em consideração, principalmente, as direções do vento. A direção do vento influencia na operação aeroportuária. Dessa forma, as pistas devem ser orientadas conforme a direção principal dos ventos utilizando um Anemograma.

As medições indicadas no Anemograma deve ter como base os ocorridos ao longo de pelo menos, 5 anos. Isso é necessário para um bom projeto e consequentemente para que as pistas de pouso e decolagens não sejam construídas com base em orientações errôneas. 

%d blogueiros gostam disto: