Vantagens e desvantagens dos Dormentes de Madeira

O tráfego ferroviário gera esforços no boleto dos trilhos, os quais são transmitidos para patins dos trilhos e depois para os dormentes. Os dormentes (Railway Sleepers) são dispostos de forma transversal ao sentido de movimentação dos veículos, e ficam logo abaixo dos trilhos, Conforme Figura 1.

150804-ferrovia
Figura 1 – Dormentes e trilhos. Fonte: https://www.portosenavios.com.br

As principais funções dos dormentes são:

  • Suportar os trilhos
  • Garantir a bitola uniforme
  • Atua como apoio elástico entre trilho e lastro
  • Distribuir as tensões das trilhos no lastro
  • Garantir estabilidade da via

Os dormentes podem ser feitos de diversos materiais, como madeira, concreto, aço, plástico ou materiais reciclados. Para que possam ser utilizados em vias ferroviárias, os dormentes devem apresentar viabilidade econômica, vida útil duradoura, resistência ao tráfego, fácil manipulação. deve possibilitar manutenções no lastro e etc.

Os dormentes de madeira são fabricados com madeira de Eucalipto replantado, e normatizados pela NBR 7511/2013, com as dimensões médias apresentadas na Tabela 1.

dimensoesmadeira
Tabela 1 – Dimensões média dos dormentes de madeira. Fonte: PAIVA (2016)
madeira
Figura 2 – Dimensões.

Os dormentes de madeira apresentam menor custo do que outros tipos de dormentes, são de fácil manuseio, se adequam ao lastro e podem ser usados em vias de qualquer bitola e que não apresentem manutenções rigorosas.

Entretanto, como a madeira é um material orgânico ele apresenta menor vida útil por estar suscetível a fungos e insetos, apresenta menor estabilidade lateral e longitudinal do que outros dormentes e caso não seja de reflorestamento pode causar impactos ambientais. A Figura 3 ilustra os dormentes de madeira com área de apoio dos trilhos definida.

Crossties1_848
Figura 3 – Dormentes de Madeira com área de trilho definida.

Diversos são os tipos de dormentes de madeira quanto ao seu formato. Os dormentes roliços, são aqueles com formato original da árvore e que só recebem serragem na área de posicionamento dos trilhos para aplicação em campo. Os dormentes semirroliços são aqueles que recebem serragem apenas nas face inferior e superior. Os dormentes roliços e semirroliços são usados apenas em vias secundárias, de tráfego ocasional e com baixa velocidade.

Os dormentes prismáticos, por sua vez, são aqueles que recebem serragem nas quatro faces, apresentando seção transversal retangular e utilizados em vias primárias. Além disso, os dormentes de madeira precisam de tratamentos químicos pois estão sujeitos a ataques de fungos e insetos. De forma geral, esses dormentes estão sujeitos a maiores danos como por exemplo a degradação causada pela água, ou devido a ferrugem proveniente de fixações.

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe esse artigo para que outras pessoas entendam esse conceito da Infraestrutura Ferroviária. Se tiver dúvidas, deixe nos comentários que elas serão respondidas!

Siga nas redes sociais abaixo para acompanhar nosso trabalho!

60312da1fe41b1f2a8a84e4c959b4e0e

if_linkedin_circle_color_107178

aaa

Fontes:

PAIVA, C.E.L. “SUPER E INFRAESTRUTURAS DE FERROVIAS: Critérios para Projeto“. Editora Elsevier: São Paulo, 2016.

NABAIS, R.J.S; “MANUAL BÁSICO DE ENGENHARIA FERROVIÁRIA”. Oficina de Textos: São Paulo, 2015.

NETO, C.B. “MANUAL DIDÁTICO DE FERROVIAS“. Universidade Federal do Paraná: Paraná, 2018.

STOPA

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: