Conheça a contenção de solos em Cortinas

6
Fonte: Autor desconhecido

As Cortinas são estruturas de contenção consideradas como estruturas esbeltas. Esse tipo de estrutura é recomendado quando não se dispõe de área suficiente para abrigar a base do muro, ou quando é necessário conter um desnível superior a 5 metros.

As cortinas são muito utilizadas em escavações para a utilização em projetos de fundação e de obras subterrâneas, como por exemplo, o Metrô, galerias, tubulações enterradas ou subsolos de edifícios. As cortinas podem ou não apresentar os tirantes. Os tirantes são empregados em situações em que o trecho enterrado, chamado de “ficha”, não é suficiente para garantir a estabilidade da estrutura. Dessa forma emprega-se o tirante para reforçar a estrutura e manter a estabilidade do sistema. A Figura 1 e Figura 2 ilustram as cortinas de contenção e cortinas atirantadas.

Sierra Exif JPEG
Figura 1 – Cortina sem tirante. Fonte: http://www.solonet.eng.br
contencao-em-estrada13114
Figura 2 – Cortina Atirantada. Fonte: https://www.aecweb.com.br

O modelo construtivo das cortinas pode variar conforme o lugar de aplicação, podendo necessitar de escavação para os casos de obras subterrâneas. Diferente de alguns outros modelos de contenção, os deslocamentos resultantes em estruturas esbeltas nem sempre atendem as hipóteses clássicas das teorias de Rankine e Coulomb. Isso ocorre devido à modificação do estado de tensões originais resultante da escavação ou retro aterro. Dessa forma, o método de cálculo de cortinas é muitas vezes concebido devido o monitoramento de obras, estudo de modelos reduzidos e simulações numéricas.

Diversas são as soluções executivas de engenharia para o emprego de cortinas, sendo as mais comuns às cortinas de perfis metálicos com prancha de madeira, cortinas atirantadas, parede de concreto estroncada, perfil metálico com pranchão de concreto, cortina de estacas justapostas. Algumas dessas soluções são consideradas contenções provisórias, muitas vezes devido a durabilidade da solução e empregados quando não é possível a utilização de taludes.

As rupturas dos sistemas de contenção podem gerar problemas graves e inclusive levar a morte de trabalhadores e o comprometimento da estabilidade de estruturas vizinhas. As rupturas em sistemas podem ocorrer devido a tensões excessivas do sistema de suporte, aproximando-se da resistência dos materiais envolvidos, como por exemplos esforços de flexão na cortina excedendo os valores resistentes e outros problemas de resistência do solo. Dessa forma é necessária uma análise geotécnica especifica e precisa para garantir a estabilidade da escavação.

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe esse artigo para que outras pessoas entendam esse conceito da Geotecnia. Se tiver dúvidas, deixe nos comentários que elas serão respondidas!

Siga nas redes sociais abaixo para acompanhar nosso trabalho!

60312da1fe41b1f2a8a84e4c959b4e0e

if_linkedin_circle_color_107178

aaa

Fontes:

DAS, B.M; SOBHAM, K; “FUNDAMENTOS DE ENGENHARIA GEOTÉCNICA“. 8º Edição. California: Cengage Learning, 2010

GERCOVICH, D; DANZIGER, B.R; Saramago, R. “CONTENÇÕES: TEORIA E APLICAÇÕES EM OBRAS”. São Paulo: Oficina de Textos, 2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: