Como realizar a avaliação estrutural destrutiva dos pavimentos

Os pavimentos são estruturas não perenes, ou seja, com o passar dos anos vão sofrendo deformações e tornando-se inapropriados para o novo tráfego de determinada via. Essa falta de capacidade em suportar o tráfego, e o surgimento de patologias exigem uma avaliação do estado do pavimento para ser adotada uma nova medida, seja ela uma reconstrução ou  um reforço estrutural.

A avaliação estrutural contempla a caracterização completa de elementos e variáveis estruturais dos pavimentos, de uma forma que possibilite a descrição do comportamento em relação as cargas do tráfego e definir sobre a capacidade do pavimento. Caracterizar a estrutura do pavimento implica em determinar os materiais e também as espessuras de cada elemento estrutural, incluindo solo de subleito e integridade das camadas, por meio de parâmetros estruturais e também medidas de deformações. A Figura 1 ilustra uma avaliação destrutiva do pavimento.

poc3a71
Figura 1 – Avaliação destrutiva do pavimento. Fonte: http://stratosondagens.blogspot.com.br

A avaliação dos defeitos superficiais possibilita a definição dos padrões e a causa de algumas patologias dos pavimentos. Uma avaliação estrutural permite também retirar conclusões sobre a camadas abaixo do revestimento, que muitas vezes não é possível realizar com avaliação visual superficial.

A avaliação estrutural destrutiva é aquela que tem como finalidade uma completa caracterização física da estrutura do pavimento. Ou seja, em uma avaliação destrutiva são retiradas diversas informações sobre o pavimento existente, tais como:

  • Determinar espessuras
  • Definição dos materiais
  • Indicar estado e degradação

Essa avaliação é geralmente inviável com apenas avaliações de defeitos superficiais. Entretanto, ter o conhecimento preliminar da estrutura é considerado como um ponto de partida para as demais verificações, e também parar a avaliar a necessidade de uma restauração.

A avaliação destrutiva pode ser realizada por processos manuais ou mecânicos através da abertura de uma cava com pá e picareta, ou abertura de furos com concha helicoidal, trado ou concha. Pode ser realizado também por meio de abertura de trincheiras transversais a pista, ou extração de amostras do revestimento, base e demais sondagens que possibilitem a caracterização do material. A Figura 2 ilustra uma trincheira de inspeção.

2
Figura 2 – Trincheira de Inspeção. Autor: Desconhecido

Os poços de inspeção possuem geralmente dimensões de 0,8m x 0,8m, de forma a permitir a medição das espessuras e reconhecer os materiais. O espaçamento entre os poços de inspeção é realizado geralmente a cada 2 quilômetros, mas dependendo da necessidade de inspeção e do detalhamento podem ser realizados a cada 200 metros.

As aberturas de trincheiras só podem ser realizadas quando a avaliação do pavimento exige um grande nível de detalhes para observar as trilhas de rodas, fissuras em base e rupturas de camadas.

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe esse artigo para que outras pessoas entendam esse importante processo da gerência de pavimentos. Se tiver dúvidas, deixe nos comentários que elas serão respondidas!

Siga nas redes sociais abaixo para acompanhar nosso trabalho!

60312da1fe41b1f2a8a84e4c959b4e0e

if_linkedin_circle_color_107178

aaa

Fontes:

BALBO, José Tadeu, “PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA: Materiais, projeto e restauração”. São Paulo, 2007.

BERNUCCI, L.B; MOTTA, L.M.G; CERATTI, J.A.P; SOARES, J.B. “PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA: Formação básica para Engenheiros”. Rio de Janeiro, 2008.

PEIXOTO, Creso de Franco; “GENERALIDADES DE PAVIMENTAÇÃO RODOVIÁRIA”. Rio Claro, 2003.

PRIETO, Valter; “NOTAS DE AULA – SUPERESTRUTURA RODOVIÁRIA”. Centro Universitário da FEI. São Bernardo do Campo, 2016.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: