Você sabe quais são requisitos para a plataforma ferroviária?

sub2
Fonte: KLINCEVICIUS (2011)

Abaixo do sub lastro de uma via férrea é encontrada a plataforma, a qual é o conjunto de procedimentos construtivos que dão forma a seção transversal e adequam o terreno local da via permanente. Dessa forma, a plataforma é o topo da camada final de terraplenagem, ou seja a parte superior da infraestrutura.

A Plataforma pode ser constituída de uma ou mais camadas de solo local, cortes ou aterros, com espessuras variando de 15 a 20 centímetros. Caso o solo apresente mais do que 5% do solo passante na peneira #200, deve receber tratamento granulométrico ou tratamento químico para anular a formação de lama.

plata
Figura 1 – Plataforma . Fonte: BRINA (1982)

É recomendável que a plataforma apresente índice de suporte califórnia superior a 9% e no máximo 35% de silte dentre os passantes na peneira #200. Os locais com solo natural com baixa capacidade de suporte, inferior a 6%, o dimensionamento da superestrutura deve prever camadas de reforço de forma a diminuir as tensões verticais no topo da camada.

Quando utiliza-se camadas de lastro e sub-lastro granular, a plataforma recebe as vazões precipitadas e as encaminha lateralmente para o sistema de drenagem. Dessa forma, a plataforma deve ser impermeável para impedir a percolação para o interior da camada, o que diminui sua capacidade de suporte.

Quando a plataforma está pronta, essa pode ser chamada de subleito para o dimensionamento das demais camadas, conforme descrito na NBR 7641/1980. Esse artigo foi útil para você? Compartilhe esse artigo para que outras pessoas entendam esse conceito da Infraestrutura Ferroviária. Se tiver dúvidas, deixe nos comentários que elas serão respondidas!

Siga nas redes sociais abaixo para acompanhar nosso trabalho!

60312da1fe41b1f2a8a84e4c959b4e0e

if_linkedin_circle_color_107178

aaa

Fontes:

PAIVA, C.E.L. “SUPER E INFRAESTRUTURAS DE FERROVIAS: Critérios para Projeto“. Editora Elsevier: São Paulo, 2016.

NABAIS, R.J.S; “MANUAL BÁSICO DE ENGENHARIA FERROVIÁRIA”. Oficina de Textos: São Paulo, 2015.

NETO, C.B. “MANUAL DIDÁTICO DE FERROVIAS“. Universidade Federal do Paraná: Paraná, 2018.

BRINA, H. L. “ESTRADAS DE FERRO” – Vol. 1 e 2. Livros Técnicos e Científicos Editora S/A – Rio de Janeiro, 1983.

KLINCEVICIUS, M.G.Y. “ESTUDO DE PROPRIEDADES, DE TENSÕES E DO COMPORTAMENTO MECÂNICO DE LASTROS FERROVIÁRIOS”. São Paulo, 2011.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: